Mapas do estado civil da população: nascimentos, casamentos e óbitos

Description level
Series Series
Reference code
PT/ADVIS/AC/GCVIS/J-A/10
Title type
original
Date range
1848 Date is certain to 1925 Date is certain
Dimension and support
8 128 doc.; 1 cad.
Scope and content
O movimento da população (nascimentos, casamentos e óbitos) era controlado pelo Governo Central, através do seu representante no distrito: o Governo Civil. É assim, que nos aparece esta série, composta por mapas individuais ou colectivos, que nos contabilizam nascimentos legítimos e ilegítimos, casamentos e o número de óbitos (por doença, naturais, à nascença), ocorridos em cada concelho. Até 1890, os mapas existentes são anuais, tornando-se depois desta data mensais. Eram as Câmaras Municipais, a entidade encarregue de enviar estes dados para o Governo Civil, depois de os conseguir junto dos párocos de cada freguesia. Em 1898, surge-nos a obrigatoridade de registar estes acontecimentos de uma forma civil, o que origina o aparecimento de outro mapa. Aqui começam as falhas de dados, nomeadamente os mapas de casamentos. Em 1902, o serviço estatístico do movimento demográfico passa a pertencer às instâncias sanitárias, ou melhor às Delegações de Saúde, o que justifica o fim da chegada destas informações ao Governo Civil. Em 1911, tudo muda outra vez com a criação do Registo Civil e de vários postos espalhados pelo distrito, que se encarregam agora deste trabalho.
Language of the material
Português